Telescópio James Webb da Nasa é atingido por meteorito e será ajustado

Desbloquear a melhor experiência!

A assinatura da Chaprié Premium garante-lhe acesso ilimitado a todos os conteúdos da revista. Além disso, pode ainda ler sem limites em todos os seus dispositivos e estar 100% livre de propagandas

Agência espacial anunciou que incidente não afeta missão e registros do universo que serão feitos pelo aparelho

Um micro meteorito atingiu o espelho principal do telescópio espacial James Webb, da Nasa. O dano não vai limitar o desempenho da missão, mas os engenheiros da agência espacial vão precisar ajustar o posicionamento do segmento de espelho afetado. Uma análise indica que o incidente ocorreu entre os dias 23 e 25 de maio, no segmento de espelho conhecido como C3, uma das 18 partes que compõem o refletor primário de 6,5 metros de largura do Webb.

O Webb foi lançado em dezembro para suceder o telescópio Hubble, revolucionário nos anos 1990, mas que agora já está com a estrutura envelhecida. Os primeiros registros do universo feitos pelo novo aparelho serão divulgados no dia 12 de julho.

A velocidade com que tudo se movimenta no espaço significa que até as menores partículas podem transmitir muita energia ao colidir com outro objeto. Webb já foi atingido cinco vezes, sendo o evento mais recente o mais significativo. De toda forma, a situação já era prevista e influenciou a escolha dos materiais, componentes e modos de operação do telescópio.

— Sempre soubemos que Webb teria que resistir ao ambiente espacial, o que inclui ataques ocasionais de micrometeoroides em nosso Sistema Solar — disse à BBC Paul Geithner, vice-gerente técnico de projetos do Goddard Space Flight Center da Nasa — Nós projetamos e construímos o Webb com margem de desempenho óptico, térmico, elétrico e mecânico para garantir que ele possa cumprir sua ambiciosa missão científica mesmo depois de muitos anos no espaço.

O processo da concepção ao lançamento do Webb durou 25 anos e custou cerca de US$ 10 bilhões às agências espaciais americana, europeia (ESA) e canadense. Em longo prazo, os cientistas pretendem usar o telescópio para tentar ver as primeiras estrelas a iluminar o cosmos há mais de 13,5 bilhões de anos e analisar atmosferas de planetas distantes para avaliar se podem ser habitáveis.

Marcelo Pinheiro
Marcelo Pinheiro
Escritor; entretenimento, moda, tecnologia e crítica. Redator e fundador da Revista Chaprié

Outras Matérias

Tesla demite funcionários que começaram há pouco tempo e retira ofertas de emprego

Funcionários relatam ter sido demitidos depois de semanas de trabalho, e sem terem passado por nenhuma avaliação de desempenho; contratações que já estavam certas foram...

Como excluir vários posts do Instagram de uma só vez

O Instagram acaba de liberar de forma gradual um conjunto de recursos. As novidades prometem auxiliar os usuários da rede social no gerenciamento dos seus perfis. Agora...

iPad 2022 da Apple terá atualização excepcional e novo design

O próximo iPad, que é o modelo de 10ª geração do tablet esperado para o final de 2022, terá uma das maiores atualizações de sua...

Telegram Premium é lançado com transcrição de mensagens de voz e mais

Apesar do Telegram Premium, o mensageiro permanecerá grátis; Telegram possui mais de 700 milhões de usuários ativos mensais O Telegram deu a largada em seu novo plano pago....

Conheça todos os gestos de trackpad no Mac

Gestos no trackpad acionam diversas funções em computadores da Apple; comandos podem ser personalizados nas configurações do macOS Uma das maiores vantagens do macOS é a possibilidade de...

iPhone 14 terá muitas novidades nas câmaras

No início deste ano, vários relatórios sugeriram que a Apple está a trabalhar em grandes actualizações para a câmara frontal do iPhone 14. Agora o...

Exclusivo

Premium

A assinatura da Chaprié Premium garante-lhe acesso ilimitado a todos os conteúdos da revista. Além disso, pode ainda ler sem limites em todos os seus dispositivos e estar 100% livre de propagandas.

Newsletter

Recentes