Susanna e os Anciões – Uma mulher inocente resiste a dois predadores sexuais, apenas para enfrentar um julgamento que revela sua culpa.

Desbloquear a melhor experiência!

A assinatura da Chaprié Premium garante-lhe acesso ilimitado a todos os conteúdos da revista. Além disso, pode ainda ler sem limites em todos os seus dispositivos e estar 100% livre de propagandas

Demonstrando técnica brilhante e visão interpretativa, Artemisia Gentileschi tinha apenas 17 anos quando pintou pela primeira vez sobre um tema ao qual voltaria repetidamente. Os Apócrifos bíblicos contam a história de Susana, a bela esposa de Joaquim. Ela está se banhando no jardim quando é surpreendida por dois anciãos. Os homens a ameaçam com violência sexual e dizem que ambos a acusarão de adultério se ela não se submeter a eles. Ela resiste e eles cumprem sua ameaça. 

Susanna é levada a julgamento pelo crime capital de adultério. Ela alega sua inocência, que é finalmente verificada quando o jovem Daniel interroga os acusadores separadamente. Seus relatos diferem enormemente, são totalmente contraditórios e, como resultado, Susanna anda livre, com a virtude intacta.

Artemísia retrata o momento em que os dois homens a atacam por trás da parede de pedra onde estavam espionando. Eles estão opressivamente entrelaçados em uma conspiração – um sussurra no ouvido do outro, que coloca o dedo indicador nos lábios. Há um grande contraste entre os homens sombrios e vestidos pesadamente e a figura quase nua de Susanna. Ao contrário de muitas outras pinturas desta cena por artistas masculinos, que a retratam como passiva, Susanna resiste violentamente às suas abordagens, torcendo o torso para longe deles, deixando clara sua raiva profunda e instintiva por suas ações.

É um trabalho surpreendentemente maduro para alguém tão jovem, revelando um domínio das técnicas transmitidas a ela por seu pai Orazio – um homem de ‘temperamento totalmente selvagem’ – que manteve sua filha em um estado de quase-confinamento. 

Um ano depois de pintar Susanna e os Anciões , Artemísia enfrentou sua própria provação quando seu pai acusou seu colega pintor Agostino Tassi de ter “deflorado” sua filha, prejudicando a reputação da família. Embora Tassi empregasse testemunhas falsas em sua defesa, em 1612 ele foi exilado de Roma por cinco anos. Posteriormente, Artemisia casou-se com outro pintor, Pierantonio Stiattesi, irmão mais novo do advogado de seu pai. Eles se mudaram para Florença, onde Artemísia se tornaria uma figura importante da Renascença, desafiando todos os preconceitos. 

Compartilhe nas Redes!

Chaprié Premium

Nossa revista digital com conteúdo exclusivo e edições temáticas, pensada especialmente para você e o universo digital. Você não precisa sair do site ou baixar qualquer app, é só fazer login deslumbrar-se de todo conteúdo feito com exclusividade!

Seja único. Seja Exclusivo. Seja Chaprié.

Exclusividade e luxo na Chaprié Premium

Outras matérias!