Prada – ALL 2022 MENSWEAR

Assistir Jeff Goldblum fechar este show valeu a pena a admissão por si só. Vestido com um sobretudo escuro de mohair peludo com bainha e cotovelos, calças escuras grandes e sapatos escuros de bico fino, seu andar era a princípio linear e direto. Então um braço surgiu ao seu lado e ondulava, serpenteante. O outro braço o seguiu, como se procurasse um contrapeso. Ele desviou para a direita na frente do poço dos primeiros fotógrafos e, ao fazê-lo, lançou um olhar afiado e esguio — olhos semicerrados — 90 graus à sua esquerda. Os aplausos aumentaram enquanto ele se dirigia com uma intenção tonta para o túnel vetorizado que levava aos bastidores. Um homem no limite, Goldblum trabalhou nisso.

Qual foi o clímax apropriado para uma coleção chamada Body of Work que abordou a hierarquia do vestuário de trabalho como sua atribuição básica enquanto ecoava contra o corpo de trabalho de ambos os designers. Inevitavelmente, por exemplo, o elenco estrelado aqui lembrou a clássica coleção outono 2012 da Prada, cujos protagonistas incluíam Willem Dafoe, Gary Oldman, Tim Roth, Jamie Bell e Adrien Brody. Nos bastidores, naquele dia, Miuccia Prada o descreveu como “uma paródia do poder do homem”. Oldman chamou de “teatro de dois minutos – uma pequena explosão de performance”.

Goldblum à parte, esta sequência de aniversário de 10 anos contou com Thomas Brodie-Sangster, Asa Butterfield, Damson Idris, Tom Mercier, Jaden Michael, Louis Partridge, Ashton Sanders, Filippo Scotti e Kyle MacLachlan. Semelhante também ao original, este show empregou seu elenco para interpretar arquétipos masculinos cujo status relativo por ocupação foi delineado e interrompido por seus uniformes. Como Prada disse em uma citação pré-escrita divulgada após o desfile: “Estávamos pensando em moda significativa, peças que fizessem sentido. Roupas que fazem as pessoas se sentirem importantes.” Ela acrescentou: “A coleção celebra a ideia de trabalhar – em todas as diferentes esferas e significados. É uma coisa prática e cotidiana. Mas aqui, você é formalmente importante. Você não é casual.”

Também não foram casuais certos paralelos com as coleções de outono de 2012 de Raf Simon. Jil Sander e, em menor grau, sua própria marca. Como em Sander na época, na Prada hoje uma categoria masculina foi emoldurada em enormes trench coats de couro, em um ajuste superdimensionado para infantilizar – ou pelo menos desautorizar – como no desfile Raf de dez anos. Havia também cinturas extremamente apertadas em bombardeiros alongados e jaquetas de campo, e enfeites de mohair peludos ostentosos e ostensivos – servidos com mais sucesso em um MA1 laranja de grandes dimensões. Se esses detalhes serviam para enfatizar a dignidade do trabalho por meio da elevação de seu uniforme (como as notas de hoje o diziam) ou atuavam para minar parodicamente a auto-importância dos sistemas convencionais de status masculino (como a sra. de onde (e talvez quando) você estava vindo.

Como na coleção de outono da Prada de um ano atrás, todas essas fachadas compartilhavam uma roupa de baixo semelhante que ficava entre elas e o corpo dentro. A atualização deste ano sobre o long john de tricô do ano passado foi, disse Simons, “macacões de material leve, duas peças, referindo-se à ideia de trabalho, movimento, atividade e lazer”. Expandidos em volume e rematerializados em couro ou seda tratada, esses macacões às vezes também recebiam faturamento de fachada em estrela. Assim, o sobretudo executivo de mohair aparado em geral versus peludo abrangeu a extensão vocacional deste espectro de roupas de trabalho modernas, finamente executado e altamente Pradafied.

Texto por Vogue Runway americana traduzido e adaptado*

Confira a coleção:

Para continuar vendo esta coleção > CLIQUE AQUI

Compartilhe nas Redes!

Chaprié Premium

Nossa revista digital com conteúdo exclusivo e edições temáticas, pensada especialmente para você e o universo digital. Você não precisa sair do site ou baixar qualquer app, é só fazer login deslumbrar-se de todo conteúdo feito com exclusividade!

Seja único. Seja Exclusivo. Seja Chaprié.

Exclusividade e luxo na Chaprié Premium

Outras matérias!