Papa compara Ucrânia a Ruanda e se diz disposto a encontrar Putin

"Tenho que ir a Moscou primeiro, tenho que me encontrar com Putin primeiro", disse Francisco a jornal italiano

“Tenho que ir a Moscou primeiro, tenho que me encontrar com Putin primeiro”, disse Francisco a jornal italiano

O papa Francisco assegurou que está disposto a viajar para Moscou e se reunir com o presidente russo, Vladimir Putin, na tentativa de parar a guerra na Ucrânia, que comparou com a de Ruanda, na África.

“Tenho que ir a Moscou primeiro, tenho que me encontrar com Putin primeiro”, disse o papa argentino ao jornal italiano Il Corriere della Sera em entrevista publicada nesta terça-feira (3). 

“Como é possível que não se detenha tanta brutalidade? Há vinte e cinco anos, com Ruanda, vivemos a mesma experiência”, afirmou o papa, referindo-se ao genocídio de Ruanda, em 1994, onde ocorreu a tentativa de extermínio da população tutsi por parte do governo hegemônico Hutu, em que 800 mil pessoas morreram, segundo números da ONU.

Francisco recordou que no “primeiro dia da guerra” falou por telefone com o presidente ucraniano Volodimir Zelensky e repetiu várias vezes durante a entrevista que estava visando ir para Moscou. 

“Em dezembrou falei com ele (Putin) em meu aniversário, mas desta vez não o chamei. Quis fazer um gesto claro que todo o mundo pudesse ver e por isso me dirigi ao embaixador russo. E pedi que me explicasse, lhes disse que parem por favor. Depois pedi ao cardeal (Pietro) Parolin, após vinte dias de guerra, que fizesse chegar uma mensagem a Putin de que estava disposto a ir em Moscou”, afirmou. 

“Entretanto, não temos recebido resposta e seguimos insistindo, mesmo que Putin não possa ou nem queira realizar esse encontro no momento”, comentou. 

Questionando as causas do conflito, o líder católico falou que a “ira” do Kremlin tinha sido “facilitada” pelos “latidos da Otan às portas da Rússia”, declarações que não agradaram a Polônia.

“Muitos de nós levamos as mãos à cabeça ao ouvir o que o papa disse”, reagiu o ministro polonês da Educação, Przemyslaw Czarnek, em declarações à TV estatal, afirmando que as declarações tinham “ofendido” os poloneses.

O papa também refletiu sobre o fornecimento de armas por parte do ocidente para a resistência ucraniana, uma questão que divide opiniões no mundo católico.

“Não responderei à pergunta de se é correto abastecer os ucranianos, mas o que está claro nessa terra é que estão testando as armas. Os russos agora sabem que os tanques são pouco úteis e estão pensando em outras coisas. As guerras servem para isso: para testar as armas que fabricamos”, afirmou.

Marcelo Pinheiro
Marcelo Pinheiro
Escritor; entretenimento, moda, tecnologia e crítica. Redator e fundador da Revista Chaprié

Outras Matérias

Suíça proíbe importações de ouro da Rússia

O governo suíço proibiu, nesta quarta-feira, a importação de ouro vindo da Rússia. A Suíça, segundo maior importador de ouro do mundo, o principal exportador...

Novo McDonald’s russo abre as portas hoje. Veja o que muda após saída da rede americana

Operação no país foi vendida para megaempresário russo após invasão da Ucrânia. Rede precisou criar novo logo e não deve contar com Big Mac no...

Biden diz que EUA vão trabalhar com Finlândia e Suécia contra ameaça à segurança

O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, disse nesta quarta-feira (18) que seu país vai trabalhar com a Finlândia e a Suécia para permanecerem vigilantes contra...

Finlândia busca adesão rápida à Otan e Rússia promete resposta

Suécia deve tomar mesma atitude nos próximos dias, de modo que guerra da Ucrânia terá provocado expansão da aliança militar que Putin pretendia conter A Finlândia...

Presidente e premiê da Finlândia anunciam apoio à adesão do país à Otan

Com declaração dos principais líderes, nação nórdica deve acelerar processo de entrada na aliança militar, contrariando o governo da Rússia O presidente e a primeira-ministra da Finlândia anunciaram...

Má notícia para Putin: Finlândia está prestes a se juntar à Otan

Pesquisas de opinião mostram que pelo menos 60% dos finlandeses são a favor da adesão à aliança militar ocidental A invasão da Ucrânia pela Rússia saiu...

Premium

A assinatura da Chaprié Premium garante-lhe acesso ilimitado a todos os conteúdos da revista. Além disso, pode ainda ler sem limites em todos os seus dispositivos e estar 100% livre de propagandas.

Newsletter

Recentes