Milhares de crianças em Mariupol estão sendo levadas pela Rússia

O ministro das Relações Exteriores da Ucrânia, Dmitry Kuleba, disse, em pronunciamento hoje, que o governo tem evidências de que a Rússia está levando a solo russo milhares de crianças de Mariupol. “Temos evidências concretas de que eles levaram milhares de crianças de Mariupol para a Federação Russa. Isso é uma violação da lei internacional”, afirmou Kuleba, segundo a agência de notícias Interfax.

“Mariupol não é apenas uma tragédia da Ucrânia, é uma tragédia do mundo inteiro, é um crime de guerra contínuo cometido pela Federação Russa”, ainda disse o ministro.

Reportagem do jornal britânico The Guardian de ontem mostra que autoridades de Mariupol afirmam que milhares de pessoas, principalmente mulheres e crianças, estão sendo levadas à força por soldados à Rússia.

“Os ocupantes levaram ilegalmente pessoas do distrito de Livoberezhniy e do abrigo no prédio do clube esportivo, onde mais de mil pessoas (principalmente mulheres e crianças) estavam se escondendo do bombardeio constante”, disse o conselho da cidade.

Rússia estabelece prazo para rendição em Mariupol.

A Rússia defendeu no domingo (20) que as forças armadas ucranianas em Mairupol baixem as armas e deixem a cidade por meio de corredores humanitários. De acordo com o coronel general Mikhail Mizintsev, chefe do Centro Nacional de Controle de Defesa da Rússia, os ucranianos têm até as 5h (pelo horário de Moscou, 23h pelo horário de Brasília) desta segunda-feira (21) para mandar uma resposta por escrito aos termos russos para a abertura de corredores humanitários.

Conforme a agência de notícias russa RIA Novosti, Mizintsev disse que a Rússia vai garantir uma saída segura de Mairupol e a preservação da vida de todos que depuserem suas armas.

“Nós pedimos às unidades das Forças Armadas da Ucrânia, aos batalhões de defesa territorial, aos mercenários estrangeiros que parem as hostilidades, deponham suas armas e, ao longo dos corredores humanitários acordados com o lado ucraniano, entrem em territórios controlados por Kiev”, disse Mizintsev à agência russa

A Ucrânia rebateu a proposta russa e descartou a ideia de rendição. A vice-primeira-ministra ucraniana, Iryna Vereshchuk, ao jornal ucraniano Ukrainska Pravda que os russos enviaram a mesma carta ao ucranianos, à ONU (Organização das Nações Unidas) e ao Comitê Internacional da Cruz Vermelha. O conteúdo, segundo ela, é “um retorno à história e outro delírio”.

Compartilhe nas Redes!

Chaprié Premium

Nossa revista digital com conteúdo exclusivo e edições temáticas, pensada especialmente para você e o universo digital. Você não precisa sair do site ou baixar qualquer app, é só fazer login deslumbrar-se de todo conteúdo feito com exclusividade!

Seja único. Seja Exclusivo. Seja Chaprié.

Exclusividade e luxo na Chaprié Premium

Outras matérias!