As 6 exigências de Putin para terminar a guerra na Ucrânia

Em conversas com o presidente da Turquia, Recep Tayyip Erdogan, Putin listou suas exigências. Quatro delas são consideradas fáceis e dependem exclusivamente de decisão de Volodymyr Zelenzky, presidente da Ucrânia

Em conversas mantidas com o presidente da Turquia, Recep Tayyip Erdogan, Vladimir Putin detalhou seis exigências da Rússia para colocar fim à guerra na Ucrânia, que completa um mês na próxima quinta-feira, 24 de março.

Porta-voz e conselheiro pessoal de Erdgogan, Ibrahim Kalin afirmou a jornalistas em Istambul que dos seis pontos colocados por Putin, quatro seriam de fácil resolução e dependem exclusivamente de decisões do presidente ucraniano Volodymyr Zelensky.

  1. A principal exigência de Putin é que a Ucrânia se comprometa a nunca fazer parte da Organização do Tratado Atlântico Norte, a Otan, e de quaisquer outros organismos multilaterais comandados pelos EUA.
  2. Putin ainda exige que a Ucrânia se submeta a um processo de desarmamento para mostrar que não representa uma ameaça à Rússia.
  3. A Ucrânia também teria que manter o idioma russo em áreas do país onde ela é falada.
  4. Putin ainda exige que a Ucrânia realize a “desnazificação” do país, proibindo grupos de ultradireita remanescentes da II Guerra Mundial que são nutridos pela ideologia nazista.

Os quatro pontos acima seriam de fácil aplicação, segundo Kalin, e dependeria exclusivamente da ação de Zelensky.

No entanto, Putin exige outras duas medidas relativas aos territórios que, para o governo russo, ainda fazem parte da chamada “Grande Pátria Russa”, e envolve atores da comunidade internacional.

A primeira delas é sobre a região da Crimeia, no sul da Ucrânia, que foi anexada pela Rússia após a chamada “revolução ucraniana de 2014”, em que o governo do presidente Viktor Yanukovych (pró-Rússia) foi deposto.

A revolta ucraniana ocorreu justamente porque Viktor Yanukovych se recusou  a assinar um acordo de associação com a União Europeia. Uma das primeiras ações do novo governo foi revogar uma lei que reconhecia o russo como língua regional oficial.

Os moradores da parte leste da Ucrânia – na chamada região de Donbas – manifestaram-se contra o novo governo em Kiev.

A região separatista é onde estão os territórios de Donetsk e Lugansk, reconhecidas pela Rússia como regiões independentes no dia 21 de fevereiro.

É este os dois pontos mais difíceis: Putin quer que a comunidade internacional reconheça tanto a Crimeia quanto Donetsk e Lugansk como territórios russos.

Compartilhe nas Redes!

Chaprié Premium

Nossa revista digital com conteúdo exclusivo e edições temáticas, pensada especialmente para você e o universo digital. Você não precisa sair do site ou baixar qualquer app, é só fazer login deslumbrar-se de todo conteúdo feito com exclusividade!

Seja único. Seja Exclusivo. Seja Chaprié.

Exclusividade e luxo na Chaprié Premium

Outras matérias!