Após pressão de Musk, conselho do Twitter antecipa decisão e dá aval à venda da empresa

Conselheiros recomendam a acionistas que aceitem proposta de US$ 44 bilhões. Anúncio foi antecipado em 8 dias

O conselho do Twitter recomendou aos acionistas, em decisão unânime, que aprovem a oferta de Elon Musk de US$ 44 bilhões, oito dias antes da data marcada para a votação. A recomendação acontece em meio a declarações do bilionário sobre voltar atrás ou renegociar sua decisão.

Na segunda-feira, Musk levantou a hipótese de reduzir a oferta inicial de US$ 54,20 por ação, dizendo que um acordo a um preço mais baixo não estaria “fora de questão”.

O empresário bilionário está levantando dúvidas sobre os dados divulgados publicamente do Twitter sobre a porcentagem de spam e contas falsas em seu serviço de mídia social, alegando que representam mais de 20% de todos os usuários. Nesta terça-feira, Musk publicou que só seguiria em frente com a oferta se o Twitter pudesse provar que o número de “bots” é inferior aos 5%, valor informado anteriormente pela empresa.

Declaração do conselho

Em declaração, o Twitter disse que está “comprometido em concluir a transação no preço e nos termos acordados o mais rápido possível”.

O conselho divulgou detalhes relevantes relacionados à oferta de Musk, incluindo como ele pretende financiar a compra, os bastidores dos eventos entre o empresário bilionário e a liderança executiva do Twitter que levaram à oferta e o que acontecerá com as ações detidas pelos funcionários do Twitter e executivos se a oferta for finalizada.

Os conselheiros citaram fatores que influenciaram na decisão de recomendar que os acionistas aprovem o acordo, incluindo uma melhoria no posicionamento competitivo do Twitter e as perspectivas de se tornar uma empresa independente, e a crença do conselho de que o acordo tem grandes chances de ser consolidado.

Também foram listados alguns riscos associados ao modelo de negócios do Twitter caso continuasse uma empresa de capital aberto, como o desafio de “fazer investimentos, mudanças operacionais e melhorias (incluindo reduções de custos) para alcançar crescimento e lucratividade de longo prazo”, e “a desafios históricos para a capacidade do Twitter de aumentar a receita de publicidade.”

O documento continuou dizendo que nenhuma das possíveis alternativas estratégicas para a fusão provavelmente apresentaria melhores oportunidades para o Twitter criar maior valor para seus acionistas.

A SEC (que equivale à Comissão de Valores Mobiliários dos EUA) ainda vai revisar o acordo o acordo – embora a agência reguladora geralmente não tenha o poder de impedir fusões corporativas ou transações privadas – e os acionistas votarão na aprovação na assembleia anual de acionistas do Twitter no dia 25 de maio.

Tuítes de Musk

O empresário tem usado a própria rede social em negociação para publicar suas expectativas em relação a ela. Nesta terça-feira, ele tuitou que pagar um preço mais baixo pela rede social “não está fora de questão” e que não vai manter sua proposta de aquisição por US$ 44 bilhões se a plataforma não comprovar que tem menos de 5% de contas falsas.

Musk no Twitter: “Minha oferta foi baseada na precisão dos registros da SEC do Twitter. Ontem, o CEO do Twitter se recusou publicamente a mostrar prova de <5%. O acordo não pode avançar até que ele o faça.”

Na semana passada, ele havia dito que a oferta da rede social estava “temporariamente suspensa” devido à possibilidade de que os números sobre perfis falsos e de robôs estivessem subestimados. O próprio Twitter admitiu que teria de revisar as estatísticas.

Após a declaração de Musk feita hoje, as ações do Twitter recuaram 3% nas operações de pré-mercado em Nova York (ou seja, antes da abertura regular do pregão). Na véspera, os papéis já haviam recuado 8%, para US$ 37,39. O valor é bem abaixo do que os US$ 54,2 que Musk concordou em pagar pela empresa.

Cada vez que as ações caem, a empresa fica mais “barata”. Na sexta-feira passada, os papéis do Twitter chegaram a cair 20% após o empresário ter declarado pela primeira vez – em tuíte na própria plataforma – que poderia suspender sua proposta.

Muitos analistas acreditam que Musk tem tornado pública uma suposta hesitação no negócio justamente para barganhar, ou seja, para fazer com que o Twitter aceite um valor menor pela compra.

Marcelo Pinheiro
Marcelo Pinheiro
Escritor; entretenimento, moda, tecnologia e crítica. Redator e fundador da Revista Chaprié

Outras Matérias

Tesla demite funcionários que começaram há pouco tempo e retira ofertas de emprego

Funcionários relatam ter sido demitidos depois de semanas de trabalho, e sem terem passado por nenhuma avaliação de desempenho; contratações que já estavam certas foram...

Como excluir vários posts do Instagram de uma só vez

O Instagram acaba de liberar de forma gradual um conjunto de recursos. As novidades prometem auxiliar os usuários da rede social no gerenciamento dos seus perfis. Agora...

iPad 2022 da Apple terá atualização excepcional e novo design

O próximo iPad, que é o modelo de 10ª geração do tablet esperado para o final de 2022, terá uma das maiores atualizações de sua...

Telegram Premium é lançado com transcrição de mensagens de voz e mais

Apesar do Telegram Premium, o mensageiro permanecerá grátis; Telegram possui mais de 700 milhões de usuários ativos mensais O Telegram deu a largada em seu novo plano pago....

Conheça todos os gestos de trackpad no Mac

Gestos no trackpad acionam diversas funções em computadores da Apple; comandos podem ser personalizados nas configurações do macOS Uma das maiores vantagens do macOS é a possibilidade de...

iPhone 14 terá muitas novidades nas câmaras

No início deste ano, vários relatórios sugeriram que a Apple está a trabalhar em grandes actualizações para a câmara frontal do iPhone 14. Agora o...

Exclusivo

Premium

A assinatura da Chaprié Premium garante-lhe acesso ilimitado a todos os conteúdos da revista. Além disso, pode ainda ler sem limites em todos os seus dispositivos e estar 100% livre de propagandas.

Newsletter

Recentes